•  10 nov 2015  •

Bebês que trocam a noite pelo dia

Oi mamães! No post de hoje darei dicas para vocês que estão com seus bebês trocando a noite pelo dia. A gente sabe que todo recém-nascido dorme muito, e isso é super normal, mas o que na minha opinião não é legal é um bebê tão pequenininho passar a madrugada toda acordado. Não é bom para ninguém, os bebês precisam dormir muito para que sejam saudáveis. Todo crescimento e formação acontece quando eles dormem, e nós, que não somos de ferro, precisamos descansar também, porque tudo pode parecer lindo e é, com a chegada de um bebê, porém, nós sabemos que nem tudo são flores na maternidade, e uma mãe que não dorme, não come e não tem tempo de ir ao banheiro, fica estressada, cansada e assim não consegue cuidar e dar toda atenção que a familia merece. Continue Lendo >>

7 Comentários
Saúde e Bem Estar
•  15 jun 2015  •

Cuidados com Recém-Nascido

Oi mamães!Hoje trago para vocês um post explicando os cuidados com recém-nascidos que devemos ter. A chegada de um bebê traz muitas mudanças e nos deixa com muitas dúvidas. Ao longo da minha gravidez, muitas vezes me peguei perguntando, quando o Lorenzo nascer, como vai ser? Será que vou saber cuidar dele? E se ele não parar de chorar, o que eu vou fazer? Na teoria tudo parece fácil, afinal é só um bebê que passa a maior parte do tempo dormindo ou mamando. Mas experimenta só a prática pra ver como é o dia a dia de um recém-nascido. São muitos os “contratempos” que enfrentamos, como cólicas, choros que parecem não ter fim. Por isso, listei abaixo alguns cuidados que se deve ter com um recém-nascido. Eu classifico como a fase mais “louca” de nossas vidas os 3 primeiros meses do bebê. É o tempo em que nossas vidas viram de cabeça para baixo, quando deixamos de cuidar de nós mesmas, são 3 meses de alegrias, tristezas, frustrações, desespero, amor e muito amor. Depois deste período as coisas vão se ajeitando. Pelo menos para mim tudo ficou mais fácil quando o Lorenzo fez 3 meses. As cólicas deram uma diminuída, ele passou a dormir mais e melhor, a rotina já se intensificava e eu tinha um pouco mais de tempo para mim. Ter um bebê em casa exige muito cuidado e dedicação dos pais. Espero que gostem do post!

cuidados com recem-nascido

 

1 – Porque o recém-nascido chora tanto?

O choro do recém-nascido é a única forma que ele tem de se comunicar. É com ele que o recém-nascido nos “avisa” que está com fome, com a fralda suja, com frio, com calor, com sono, posição desconfortável, muito estimulo, pouco estimulo, cansado e por aí vai. Vá eliminando as possibilidades, se ele acabou de mamar veja se não quer arrotar, se a fralda está suja etc. Lembre-se que essa é a única forma de expressão que eles têm.

2 – Os olhos

Os recém-nascidos tem os olhos inchados, isso é normal. Se os olhos estiverem com remela, limpe-as com um algodão umedecido em água fervida (deixe a água em temperatura morna) do canto do olho para fora.

3 – O umbigo

Você poderá passar um cotonete com álcool 70% no coto, em todas as trocas de fraldas e deixá-lo secar naturalmente até cair. Após ficar seco, você pode cobri-lo com a fralda, não coloque nada para “tampar” o coto.

4 – O banho

Dizem que não se pode dar banho no recém-nascido e lavar a cabecinha todos os dias, É MITO! Escolha um horário para dar banho no seu filho, uma vez escolhido o horário, esse terá que ser mantido todos os dias para se criar a rotina do banho. Não existe um horário certo, muitas mães preferem dar banho à noite, pois o banho acalma o bebê para dormir, (veja o post Sono do Bebê – Dormindo a Noite Toda aqui) além de poder contar com a ajuda do marido. Aqui em casa, até hoje, o banho quem dá é meu marido, é um momento para estreitar os laços afetivos entre eles, já que a maioria do tempo o Lorenzo fica comigo e meu marido só tem um tempinho para ficar com ele durante a semana, já que trabalha fora. O mais importante é checar a temperatura da água com a parte sensível do seu braço, ou com o punho. A temperatura ideal é entre 36 e 37°C.

5 – É normal chorar no banho

Sim, para acalmar seu bebê, enrole-o numa fralda de pano. Isso lhe trará conforto e segurança. Aos poucos, vá desenrolando até que ele se acostume.

6 – Fraldas

Troque as fraldas do seu bebê sempre que necessário. Isso diminui o risco de assaduras. Em meninas a higiene do bumbum deverá ser feita da frente para trás, evitando risco de infecções vaginais.

7 – Em que posição o recém-nascido deverá dormir?

De barriga para cima. SEMPRE. Não existe outra posição indicada. A Organização Mundial da Saúde e diversos outros estudos mostram que essa é a única posição indicada para bebês de até um ano. Além de permitir que o bebê respire melhor, a posição diminui o risco de engasgo, já que permite girar a cabeça para o lado em caso de vômito. O risco de morte súbita cai em 85% se o bebê dormir de barriga pra cima. Compartilhar a cama com os pais também aumenta significativamente o risco de morte súbita. Por isso, todo cuidado é pouco.

8 – Está muito frio, posso colocar cobertores no berço para aquecê-lo?

Não. O uso de mantas e cobertores na hora de dormir não é recomendado até 1 ano de idade. Isso porque aumenta consideravelmente o risco da morte súbita em bebês. O ideal, é que o bebê em si esteja bem agasalhado (sem exagero), de body de manga comprida, calça, meia, luvas e um macacão bem quentinho (de plush ou flanela de preferência). Esse “kit” deveria ser suficiente para manter o seu bebê bem quentinho. Fique atenta para não agasalhar a mais ou a menos. Coloque a mão no peito do bebê e veja se ele está suado, com brotoejas ou friozinho. Nunca meça a temperatura pelos pés ou pelas mãos.

Outro ponto importante é que dentro do berço deverá ter apenas o colchão e o bebê. Nada mais. Aqueles protetores de berço que pagamos uma fortuna, e são lindos, devem ir pro armário. Eles aumentam e muito o risco de morte súbita também.

9 – É normal fazer cocô muitas vezes?

Sim, o bebê só se alimenta de leite, então ele evacua a cada mamada. As fezes são pastosas, ou até líquidas. Não se preocupe, não é diarreia e sua cor é amarelo-ouro. Se prepare porque a probabilidade de você ser atacada por um jato de cocô é bem grande!!! Perdi as contas de quantas vezes isso aconteceu comigo, é muito engraçado, porque você não está esperando e de repente…. lá está você literalmente cagada!!! rs

10 – É preciso arrotar toda vez que mamar?

Sim. Durante a mamada o bebê pode engolir ar, por isso é importante que ele arrote após as mamadas. Coloque o bebê em posição vertical em seu colo e dê leves tapinhas em suas costas. Esse tempo pode levar de 15 a 20 minutos. Caso ele não arrote, pode deita-lo de barriga para cima. Talvez ele não tenha engolido ar enquanto estava mamando, mas o ritual de pega-lo e dar tapinhas em suas costas deverá acontecer sempre após cada mamada. “Veja o post sobre Como fazer o bebê arrotar”.

Aproveite quando seu marido estiver em casa e peça para que ele faça isso. Eu adorava quando meu marido colocava o Lorenzo para arrotar, principalmente nas madrugadas, eu voltava a dormir e ele trocava a fralda também. Era o tempo que eu tinha para descansar um pouco.

11 – Cólicas

Se o seu bebê está se contorcendo esticando as perninhas e dobrando as perninhas em direção a barriga e não está conseguindo dormir, provavelmente ele está com cólicas. Esse fantasma, que nos rondou até os 4 meses do Lorenzo tornou tudo mais difícil aqui em casa. Alguns médicos dizem que as cólicas se dão pela imaturidade do sistema digestivo do bebê, outros pela quantidade de ar engolido nas mamadas ou ainda por causa dos alimentos que a mãe passa a comer. Enfim, infelizmente não existe tratamento para esse tipo de problema, porém, o uso de medicamentos pode “aliviar” os sintomas. É claro que você não deve medicar seu bebê sem consultar o pediatra, mas aqui em casa eu usei muito Colic Calm. (Cólicas em bebês – Colic Calm).

Outra dica é fazer exercícios de bicicletinhas com as perninhas do bebê. Você poderá colocá-lo com a barriguinha encostada na sua, isso ajuda a aliviar as cólicas.

12 – Passeios

Você pode sair para passear com seu bebê desde que ele esteja seguro. Ou seja, se for de carro coloque-o no bebê conforto para que ele faça o trajeto em segurança. Evite locais fechados e aglomerados. Agasalhe-o bem, mas não coloque roupas demais. Se estiver ventando, é importante colocar uma touquinha.

13 – Não exagere nas visitas

Os recém-nascidos precisam de um ambiente calmo. Não deixe que as visitas abusem nos horários ou até mesmo em ficar pegando o bebê. Veja aqui as 12 Regras para Visitar um Recém-Nascido.

14 – Preciso acordá-lo para mamar?

Quem decide os horários de mamar são os bebês. Aqui em casa o Lorenzo sempre mamou de 3 em 3 horas, mas existe também a livre demanda. Juntos a mamãe e o bebê descobrirão o que é melhor para os dois.

15 –  Posso comer o que eu quiser?

Quando se está amamentando devemos seguir uma dieta saudável, rica em frutas, legumes, verduras e grãos integrais.  Procure ingerir mais água do que está acostumada, porque amamentar dá muita sede, sempre que estiver amamentando tenha ao lado uma garrafinha de água, isso ajuda na produção do leite também. Evite comer comida muito temperada, condimentada. Chocolate, café, feijão, erva-mate e outros alimentos do gênero também devem ser evitados. Evite também exagerar no leite de vaca, pois poderá induzir a uma intolerância a criança a proteína deste alimento.

Super Beijo!

0 Comentários
Saúde e Bem Estar
•  03 jun 2015  •

12 fatos sobre Mães que não amamentaram

Oi mamães! O post de hoje foi feito com muito carinho para as mães que tentaram de tudo para amamentar seus bebês e não conseguiram. Quero dizer que apesar de muitas mães (inclusive eu) obterem o sucesso nesta difícil tarefa, isso não te faz “diferente” ou “menos” mãe do que eu ou qualquer outra.

Quando estava grávida, nunca cheguei a pensar que não conseguiria amamentar o Lorenzo (sei que este é o pensamento de todas as mães). Li muito sobre o assunto, mas confesso que não me preparei para possíveis “imprevistos” como o de não conseguir amamentar. E graças a Deus correu tudo bem, meu leite desceu ainda na maternidade, o Lorenzo sabia sugar direitinho, só teve uma coisinha: eu não tinha bico, por isso tivemos que usar o bico de silicone (eu nem sabia que existia).

Ainda assim ouvi de algumas pessoas que não era para usar porque perderia o contato entre mãe e filho. Que??? Se eu, que tinha leite suficiente para amamentar o Lorenzo, já ouvi esse tipo de comentário inútil, imagina quem estava tentando de todas as formas amamentar e não estava conseguindo?

Ninguém está preparada para a real dificuldade da amamentação, temos acessos a informações, procuramos ajuda profissional, participamos de grupos fechados sobre amamentação, mas até aí tudo é teoria, difícil mesmo é a prática.

Sempre pensamos que, seja quais forem as dificuldades, iremos superá-las, mas não é bem assim.

Por isso, vamos às 12 verdades sobre mães que não amamentaram!

Maes que nao amamentaram 2

1 – Existiram muitas tentativas sem sucesso

Sim, e ninguém estava lá para ver o sofrimento daquela mãe. Ela tentou de várias formas, diversas vezes, porém sem sucesso. Às vezes fazer o máximo não é suficiente.

2 – Todas carregam culpa

Uma mãe que tentou de tudo para amamentar seu filho sempre carrega a culpa de que poderia ter feito mais e tentado mais. Mas a dor que ela sente, vai além da dor física de quando o bebê pega o peito para mamar.

3 – Amamentar é difícil

É difícil sim, dói, machuca, sangra. A gente se prepara, lê vários artigos sobre o assunto, mas ninguém está preparada para “não” amamentar. Uma mãe sabe que enfrentará todas as dificuldades que vierem, mas infelizmente algumas são mais difíceis que outras. E a falta de preparo (obvio, não imaginamos passar por isso) faz com que lidar com a situação se torne cada vez mais difícil.

4 – Toda mãe procura ajuda

Seja de um profissional, da mãe, de uma amiga, toda mãe ao passar por isso procuram ajuda para obter o sucesso na amamentação. São tentativas intermináveis seguidas de frustações, dores, choros, depressão e impotência.

5 – Mostra-se forte

Disfarçar os sentimentos, não admitir que existe um problema e que talvez não tenha solução na esperança de vencer.

6 – Todas tentam até o fim

Por mais angustiante que seja, você está vendo seu bebê perder peso, as coisas saindo do seu controle, visitas a especialistas acompanhadas de um “vamos tentar de tudo”, seu marido, sua mãe, sua família, torcendo para que tudo dê certo, e você ali, firme e forte (ou nem tanto) abraçando a ideia de não desistir e continuar nesta luta. Você é guerreira!

7 – Elas pensam em desistir…

Pensar em desistir nos enche de culpa, vergonha, frustração, sensação de fracasso. Mas se houver algo que ainda poderá ser feito, lá estamos nós, tentando.

8 – Elas choram

Talvez, seja mais fácil dizer sobre os momentos em que não se chorou. Chorar por cansaço, por medo, por frustação, pelo sonho de amamentar, pelo contato mãe e filho que não aconteceu.

9 – Elas não estão sozinhas

Dividir o problema com outras pessoas que passaram pela mesma situação de certa forma nos traz alivio. Saber que não estamos sozinhas, que isso acontece com outras pessoas, alivia a culpa de que somos responsáveis por esse problema. Você não é um caso à parte, e sua situação é normal, e mais aceitável do que parece.

10 – Existe outro tipo de relação mãe e filho

Pode ser que com tantas dificuldades e sofrimentos acabamos esquecendo de outras coisas tão importantes quanto amamentar. Seja no peito ou na mamadeira, a maneira como este ato é feito é o que vale. Olhar nos olhinhos, cantar, contar uma história. Além do leite, a sua presença e o calor do seu corpo é o que fará seu filho crescer e se desenvolver. Uma mamadeira, num aconchego de mãe, um colo quentinho e amoroso, vale muito mais que um peito frio de uma mãe impaciente.

11- Tenha em mente que você está fazendo tudo o que pode

Não se culpe, não viva sob pressão. Você sempre fará tudo o que pode e da melhor forma possível. Lembre-se que de que nenhuma mãe foi e nunca será perfeita, vivemos nos cobrando, fazemos o que achamos certo, e o certo para nós, pode não ser para outra pessoa.

12 – Vamos chamar de “desinformadas” as pessoas que criticam

Às vezes noto em alguns olhares de preconceito quando tiro a mamadeira da bolsa para oferecer para o Lorenzo. O Lorenzo parou de mamar no peito aos 8 meses e até os 6° mês o aleitamento materno foi exclusivo. Foi uma decisão minha, com apoio do meu marido. Agora imagina se eu também não tivesse conseguido amamentar e tivesse sofrido horrores? Como será que eu encararia um olhar deste tipo? As pessoas precisam tomar cuidado e medir as palavras ao fazer qualquer tipo de comentário ou lançar um olhar de reprovação. Se a mãe que não conseguiu amamentar estiver em depressão, uma atitude dessas pode acabar agravando a situação. Não se deixe ser julgada por pessoas que não conhecem sua história.

O amor de uma mãe, é muito maior do que alimentar, o amor, o afeto, o carinho, o companheirismo ultrapassa a nutrição!

Super beijo!

27 Comentários
Saúde e Bem Estar
•  15 maio 2015  •

Fimose – Principais Dúvidas

Oi mamães! Hoje falarei um pouco sobre um assunto que deixa várias dúvidas na nossa cabeça, a Fimose. Uma amiga sugeriu abordar este assunto num post, e então resolvi procurar algumas informações importantes que pudesse esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto.

O que é Fimose?

Classificada de duas formas uma delas é a Fimose fisiológica e quase todos os bebês do sexo masculino já nascem com ela, é uma pele chamada prepúcio grudada à glande (a cabeça do pênis). Esse tipo de fimose não é motivo de preocupação desde que não provoque a obstrução do fluxo urinário, gerando assim uma infecção. Na primeira infância, até os 3 anos de idade, o prepúcio já começa a se abrir, sem a necessidade de intervenção cirúrgica.

Já a Fimose propriamente dita, é uma espécie de anel apertando essa extremidade, impedindo que o prepúcio seja recolhido.

ilustra-fimose-1392237330836_615x300

Posso fazer massagens?

Não se deve fazer massagens para “arregaçar” o prepúcio. Essas massagens devem ser evitadas, pois além de causar dores, podem romper as fibras elásticas do prepúcio e cicatrizar de forma anormal, estreitando mais o anel, e o que não era fimose vira fimose, ou seja, fazer algum tipo de massagem sem orientação de um profissional pode acabar agravando a situação, por isso, não se deve mexer no pipi dos meninos sem que haja necessidade.

Higiene

Não mexer no pipi dos meninos não significa deixar de fazer a higiene corretamente. A falta de higiene no local, também pode acarretar em outro tipo de fimose, mais grave que a fimose fisiológica. Na hora do banho o prepúcio deverá ser lavado com sabonete neutro e exposto somente até onde der, não forçando a pele. A higiene deve ser feita diariamente para evitar infecções ou inflamações do prepúcio.

Cirurgia de circuncisão

Em bebês recém-nascidos, essa cirurgia só é feita por motivos étnicos, religiosos e tradições familiares. A cirurgia deve ser efetuada somente em casos onde a Fimose leva a alguma complicação, como infecções urinárias e outros. Normalmente é aconselhada entre os 7 e os 10 anos de idade. A recuperação da cirurgia é muito rápida, com alta no mesmo dia.

Devemos ficar atentas quando

Quando a criança tiver dificuldades ao urinar;

Dor durante a ereção;

Secreções no pênis com mal cheiro;

Infecções e sangramentos;

Lembrando que devemos SEMPRE consultar o Pediatra para todos os assuntos relacionados à saúde de nossos pequenos!

Super beijo!

0 Comentários
Saúde e Bem Estar
•  19 abr 2015  •

Como Estabelecer uma Rotina para o Bebê

Oi mamães, o post de hoje é sobre como estabelecer uma rotina para o bebê e contar a minha experiência em colocar uma rotina para o Lorenzo.

Tudo começou antes mesmo dele nascer, uma amiga indicou o livro Os Segredos de uma Encantadora de Bebês. São duas edições, um livro azul e outro rosa. Comecei a ler o azul primeiro, e foi lá que aprendi a importância de implementar uma rotina para bebês.

Vou tentar explicar direitinho para vocês como foi que estruturei a rotina aqui em casa, mas já vou adiantando que esse livro me ensinou “quase” tudo!

A Tracy Hogg, a autora do livro elaborou um método de manter uma rotina para bebês chamado “EASY” (“Fácil” em português) para ser seguido preferencialmente no primeiro dia de vida do bebê. Apesar dos primeiros dias estarmos na maternidade é importante que a rotina seja colocada em prática no primeiro dia do bebê em casa. E foi assim que fiz. O EASY é basicamente o seguinte:

E = Eating – Comer. De 25 a 40 minutos, no seio ou na mamadeira.

A = Activity – Atividade. 45 minutos (nos primeiros meses de vida isso se resume basicamente em banho, trocas de fralda, passeio no carrinho).

S= Sleep – Dormir. 15 minutos até dormir; sonecas de 30 a 60 minutos; dorme por períodos cada vez mais longos à noite, depois de 2 ou 3 semanas.

Y = You – Você – Hora de se cuidar, dormir, tomar banho, fazer a unha! Esse é um tempo só seu.

O Lorenzo sempre mamou a cada 3 horas (que na verdade verdadeira não são 3 horas né?) porque você precisa esperar o tempo para arrotar, trocar a fralda e colocar para dormir. Porém, como os horários dele eram sempre certos (uma rotina estruturada nos dá esse prazer), nesse meio tempo eu sempre conseguia fazer algo para mim. Saía para fazer as unhas, ir ao mercado, tomar um café, dar uma volta na rua. Para qualquer eventualidade que pudesse acontecer, eu sempre deixava leite materno congelado (tirava com a bomba) em casa.

Os recém nascidos dormem cerca de 70% do tempo e no começo tudo se resumia a mamadas, trocas de fraldas e banho. Todos os dias, o banho do Lorenzo era as 20:30hs, impreterivelmente. O banho ajuda a deixar o bebê relaxado, e eu queria que ele entendesse que já era hora de dormir após essa atividade. Assim como a Tracy diz no livro, eu também acho que o bebê é mais feliz quando sabe o que está por vir. Segundo a autora, os bebês não gostam de surpresas, e seu sistema orgânico funciona melhor quando eles comem, dormem e brincam sempre no mesmo horário.

Até os 4 meses, ele acordava para a mamada da madrugada as 00:00hs, 3 e as 6 da manhã.

Conforme ele foi crescendo, a rotina se intensificava ainda mais. Daí era mais fácil segui-la. Ele continuava mamando de 3 em 3 horas e as atividades (EASY) ficavam cada vez mais divertidas! Uma hora ele assistia à Galinha Pintadinha, outra ele brincava no tapetinho de atividades (Rain Forest – que mencionei no meu post sobre o Enxoval de Bebê em Miami), às vezes colocava ele no berço e ligava o móbile ou descia para dar uma volta no prédio. Era muito difícil sair da rotina, sempre fiz de tudo para que isso não acontecesse. Algumas vezes ouvia algumas críticas, mas querem saber? Eu não dava a mínima, porque ninguém estava comigo nas madrugadas ou cuidando dele pra eu tirar um cochilo durante o dia! Amo uma rotina, e hoje estou mais flexível com os horários dele, principalmente nos finais de semana.

Quando os bebês estão maiores, como no caso do Lorenzo agora, a introdução de alimentos sólidos faz a rotina ser alterada porque eles começam a brincar mais, e a dormir menos. Confesso que durante o dia, as vezes o Lorenzo tira as sonecas no mesmo horário e outras vezes não. Mas até hoje, tento manter a rotina do sono como fazia desde que ele nasceu. Abaixo os horários do Lorenzo para vocês terem como exemplo (vou começar pelo banho pois no meu ponto de vista é o mais importante na rotina):

20:00 – Banho

20:20 – Mamadeira

20:40/20:50 – Berço (isso depende do tempo que ele leva para arrotar)

07:30 – Acorda – Mama e volta a dormir

10:00 – Acorda

10:30 – Fruta

12:30 – Almoço

13:30 – Soneca da tarde até às 15:00hs (alguns dias ele dorme menos)

15:30 – Fruta ou mamadeira

18:00 – Janta

Se o seu bebê tem uma rotina estruturada, e você consegue manter isso no dia-a-dia, tudo fica mais fácil. Os horários vão ficando cada vez mais certos, no começo pode ser um pouco difícil, você levará uns 15 dias para que seu bebê se acostume com a nova rotina, mas com paciência e insistência, tudo entra no eixo.

Eu segui à risca tudo o que estava no livro. Comigo deu certo, com você também pode dar! Os bebês são diferentes uns dos outros, mas acho que vale a pena tentar. Sei que existem mães que não concordam em colocar uma rotina para os bebês assim que nascem, eu respeito e acho que cada uma deve fazer aquilo que acha mais fácil e prazeroso para si e para o bebê, como já falei comigo deu super certo, algumas coisas não foram fáceis, como por exemplo ensinar o Lorenzo a dormir sozinho no berço, (se você não leu o post sobre O sono do bebê, clique aqui) mas quem disse que a maternidade é fácil não é mesmo?

Algumas tem mais sorte que as outras, mas não é fácil para ninguém. É muito importante que os horários sejam seguidos à risca para que a rotina dê certo.

Espero que este post ajude a todas!!! Principalmente as mamães que estão desesperadas sem saber o que fazer para que seus bebês durmam bem durante o dia e a noite. Estamos juntas amigas!!!

Super beijo!

27 Comentários
Saúde e Bem Estar
Página 1 de 212