•  13 abr 2017  •

Estou grávida!!!

Oi mamães!!!!

Algumas de vocês já sabem, mas acredito que a maioria ainda não!

Estou grávida!!!

Pois é, nossa benção veio muito antes do que esperávamos, estamos muito felizes! O Lorenzo foi promovido a irmão mais velho!

Continue Lendo >>

0 Comentários
Saúde e Bem Estar
•  04 nov 2015  •

As emoções na gravidez

Oi mamães! O post de hoje, é especialmente para as recém gravidinhas! Vou contar para vocês sobre as alterações emocionais que acontecem durante a gestação.

Na semana em que descobri minha gravidez, eu estava numa alteração de humor que nem eu me aguentava! Eu estava tão ansiosa, que eu fiz um teste de gravidez uma semana antes de atrasar a minha menstruação, e claro deu negativo. Com isso fiquei tão nervosa, que nem meu marido estava aguentando.

É super normal ocorrerem mudanças de humor no primeiro trimestre da gestação. A gente passa do riso ao choro, da paz ao nervoso, e nem a gente se entende direito. O inicio de uma gestação nos traz medos, inseguranças. Sejam elas em relação ao bebê, à nova vida, aos gastos e até mesmo aos maridos. Com as alterações dos hormônios, vem os enjoos também! Eu sofri demais, até as 20 semanas. Outra coisa que me lembro muito é que fiquei um grude só com meu marido e muuuuito ciumenta. Mas isso pode acontecer ao contrário também, já ouvi casos de mulheres não suportarem os maridos, enjoarem do cheio etc. Tadinhos né? rs

gravida

O que acontece no primeiro trimestre

No começo, a mulher grávida oscila entre o medo e a alegria. Especialmente se você for uma mãe de primeira viagem, o medo costuma ser um sentimento recorrente, já que se trata do desconhecido. Pode surgir insegurança sobre o fato da sua vida não ser mais a mesma depois que o bebê nascer e de que as coisas não saiam como você espera.

A isso é possível adicionar o desconforto físico, náuseas, vômitos, insônia, cansaço, falta de apetite ou fome intensa. E, como se já não fosse o bastante, ainda existe o temor da perda da gravidez, que ocorre com mais frequência durante o primeiro trimestre (geralmente devido às más-formações genéticas).

As emoções no segundo trimestre

Algumas mulheres só conseguem acreditar de fato que serão mães quando sentem seu filho se mexer ou quando o veem no ultrassom. Aqui tudo começa a mudar, e a sensação de ter um bebê na barriga torna o fato mais concreto e visível para as outras pessoas.

Durante o segundo trimestre da gravidez e com os primeiros movimentos do bebê, surge um emocionante diálogo entre mãe e filho – que não acaba com o nascimento, mas se fortalece por toda a vida.

Os desconfortos físicos do primeiro trimestre desapareceram e, nesta fase, a mãe já se sente bem: dorme e come melhor e vive com prazer, tranquilidade e alegria. O segundo trimestre é o paraíso da gestação!

E no terceiro trimestre…

Chegando ao terceiro trimestre, perto do final da gravidez, as alterações de humor voltarão. Podem surgir dores nas costas, aumento do cansaço e, talvez, o seu bem-estar emocional seja afetado. A barriga começa a pesar nas últimas semanas e o parto é cada vez mais desejado por conta desse desconforto.

Neste período surgem novos temores, como: sobre a dor que você sentirá durante o trabalho de parto, se o bebê será saudável, se você vai ser uma boa mãe ou o seu parceiro um bom pai.

Os três trimestres têm seus momentos específicos e cada mulher grávida vai vivê-los de uma maneira distinta. São nove meses de espera, que terminam com seu bebê nos braços e o início de uma nova etapa.

O importante é não se esquecer que todo esse turbilhão emocional é normal. Saiba que você deve se cuidar e que aproveitar cada momento da gestação vai lhe fazer chegar ao parto com mais tranquilidade. Tenha um tempo para você e a gravidez se transformará em uma maravilhosa experiência de crescimento emocional, mental e espiritual.

 

Fonte: http://disneybabble.uol.com.br/

1 Comentário
Gravidez
•  18 maio 2015  •

Como engravidar de Menino

Oi Mamães! Hoje vou falar sobre um dos assuntos mais procurados na internet: como engravidar naturalmente de um menino ou uma menina. Para iniciar as postagens, começarei com o post Como engravidar de Menino e no próximo, darei dicas de como engravidar naturalmente de uma menina.

Bom, vamos lá?

Muitas mulheres antes mesmo de pensarem em engravidar, já tem aquele sonho de ser mãe de uma menininha ou um menininho. Para aquelas que já tem um filho, querem tentar um do sexo oposto. Eu tenho um menino lindo, e gostaria muito de engravidar de uma menina da próxima vez.

Então, reuni algumas dicas importantes para engravidar de um menino!

Comece pela alimentação

Deve-se consumir alimentos ricos em sódio e potássio algumas semanas antes do início da ovulação. Esses alimentos são: ovos, peixes, carne, arroz, feijão, milho, aveia, quinoa e trigo.  Deve-se evitar leites, iogurte, chocolate, nozes e frutos do mar. A intenção é deixar o PH com a menor acidez possível, o que ajuda na movimentação dos espermatozóides masculinos.

Ter relações sexuais no período fértil

Saber exatamente o dia em que estamos ovulando não é tão fácil assim, porém, para mulheres com ciclos regulares de 28 dias é mais fácil, o dia da ovulação acontece 14 dias depois do primeiro dia da menstruação. Mas para as mulheres em que o ciclo menstrual é irregular, o que se calcula é o período fértil, calculando três dias antes e três dias depois da ovulação.

ciclo-menstrual-260x300

Os espermatozóides que carregam o gene Y (meninos) são mais ágeis e chegam mais rápido ao óvulo que o gene X (meninas). Os espermatozóides masculinos são mais frágeis e morrem mais rápido que os femininos. Eles vivem cerca de 24 horas, já o espermatozoide feminino vive cerca de 72 horas. O ideal é ter relações sexuais o mais próximo do dia da sua ovulação.

Chegar ao clímax antes do homem

Porque assim é liberado um muco que diminui a acidez da vagina e facilita o movimento dos espermatozóides masculinos, ajudando–os a chegar mais rápido ao ovulo.

Prefira posições sexuais em que a penetração seja bastante profunda, pois desta forma há um maior contato com o colo do útero. Uma delas é a que o homem fica por cima.

Usar a tabela chinesa

Essa tabela é muito usada para descobrir o sexo do bebê, porém, muitas mulheres usam  para tentar engravidar de um sexo específico. É só acrescentar 1 à sua idade e descobrir o mês que engravidou. Se a mulher nasceu em Janeiro ou Fevereiro não precisa acrescentar +1. Então é só verificar na tabela o sexo do bebê, azul para meninos e rosa para meninas.

 

tabela-chinesa1

Ducha vaginal

Faça uma ducha vaginal com bicarbonato de sódio. Os espermatozóides têm preferências por meios alcalinos, e o bicarbonato de sódio aumenta a alcalinidade da vagina. Para fazer a ducha, basta uma colher de sopa de bicarbonato para um litro de água morna.

Há quem diga que para se ter um menininho o homem precisa iniciar a relação sexual. Ter relações à noite e em dias de números ímpar.

Essas dicas para engravidar de menino podem não ser 100% eficazes, já que o fator determinante para engravidar de um menino ou uma menina é a quantidade de espermatozóides que o homem produz de um gene ou de outro.

Espero que tenham gostado das dicas! Não custa nada tentar não é mesmo?

Super beijo!

0 Comentários
Gravidez
•  16 abr 2015  •

Blues Puerperal ou Melancolia Pós-Parto

Oi Mamães, estava aqui pensando sobre o que eu falaria no post de hoje. Então resolvi falar sobre um assunto importante que também faz parte do mundo maternal. O Blues Puerperal, mais conhecido como Melancolia Pós-Parto.

Quem já ouviu falar? Eu ainda não tinha pesquisado sobre o assunto, até acontecer comigo!

Quando chegamos da maternidade com o Lorenzo, ao entrar em casa bateu aquele friozinho na barriga e logo pensei, agora é de verdade! Sou eu que vou cuidar dele 24 horas por dia. Tudo estava ocorrendo muito bem, o Lorenzo era muito calminho, dormia a maioria do tempo e eu aproveitava para descansar.

No 2º dia, comecei a sentir uma tristeza misturada com medo e vários outros sentimentos que eu não sabia bem o que eram. Em seguida, veio aquele choro incontrolável que até doía no coração. Sempre tive muito medo de ter depressão pós-parto e estar triste logo depois do parto estava me deixando aflita. Eu não conseguia entender o porquê daquele choro se eu estava bem e meu filho melhor ainda! Eu tinha realizado o sonho de ser mãe, não era certo o que estava acontecendo comigo. Eu chorava toda hora, ficava angustiada, com medo de não conseguir cuidar do Lorenzo sozinha. Me lembro de uma vez estar jantando e as lágrimas escorrendo no meu rosto.

Foi aí que meu marido resolveu pesquisar na internet e rapidinho achamos a resposta: Blues Puerperal ou Melancolia Pós-Parto. Esse sentimento está geralmente ligado às mudanças hormonais que acontecem 3 ou 4 dias depois do parto, quando os hormônios da gestação desaparecem e a produção de leite se inicia.

Os sintomas geralmente duram cerca de 15 dias. O blues puerperal pode ser confundido facilmente com depressão pós-parto, por isso fiquem atentas!

Eu fiquei assim por mais ou menos 4 dias, só chorava e pensava que eu não iria conseguir cuidar daquele bebezinho e me culpando por estar pensando assim. Somos mães, mas somos de carne e osso! E a chegada de um bebê muda nossa vida completamente sem contar o cansaço das noites mal dormidas.

É essencial o apoio do nosso companheiro nessa fase, pois estamos totalmente vulneráveis. Qualquer coisa é motivo para chorar, explodir, estressar. Aqui em casa meu marido estava sempre se informando sobre tudo o que poderia acontecer comigo e com nosso pequeno. E sempre ao meu lado no primeiro sinal de choro.Também é super importante ter o carinho e apoio da família, ainda mais se puderem ajudar com o bebê para que você possa descansar. No Blues Puerperal os sintomas desaparecem naturalmente após algumas semanas.

Graças a Deus, no 4º dia eu já estava bem e aquela angústia tinha passado!

Citei abaixo alguns sintomas de cada situação:

Melancolia Pós-Parto: Choro fácil, alteração de humor, irritabilidade e cansaço. Costuma ter duração de cerca de duas semanas.

Depressão pós-parto: Tristeza intensa, perda de interesse em atividades habituais, descuido de si mesma e do bebê, alteração do sono, forte sentimento de culpa, possibilidades de ocorrer pensamentos suicidas ou agressivos em relação ao bebê. Neste caso os sintomas persistem por muito mais tempo, podendo chegar a um ano.

Se isso está acontecendo com você ou se você tem casos de depressão pós-parto na família, procure um médico (pode ser até mesmo seu ginecologista/obstetra) e fique atenta aos sintomas e à duração dessa melancolia.

Super beijo!

6 Comentários
Saúde e Bem Estar