•  26 abr 2015  •

Crise da Separação ou Crise dos 8 meses

Oi Mamães! Hoje vou compartilhar com vocês como passei pela crise da separação ou crise dos 8 meses com o Lorenzo.

crise da separação

Quando o Lorenzo completou 8 meses, comecei a notar algumas mudanças no comportamento dele, uma delas foi o fato dele começar a estranhar as pessoas. Quando ele via alguém diferente que não fazia parte do nosso convívio, ele fazia cara de choro, e outras vezes chorava tão sentido que mais parecia alguma dor física. O tempo foi passando e ele, além de estranhar as pessoas (não são todas, apenas algumas) simplesmente não queria mais desgrudar de mim! E vem sendo assim até hoje. Se eu estou por perto, ele não quer saber de ninguém, só quer o meu colo, se coloco ele no tapetinho de atividades e saio, ele me chama (do jeito dele) fica me procurando e estende os bracinhos para pegar ele no colo, parece um chicletinho! (e eu adoro, me sinto tão amada!).

Durante algumas noites, o sono dele também ficou um pouco alterado, e ele passou a resmungar mais, às vezes chorava, mas como eu já havia começado a pesquisar sobre o assunto, sabia que isso poderia acontecer.

A crise dos 8 meses, que também pode começar um pouco antes, acontece porque o bebê começa a perceber que ele e a mãe não são as mesmas pessoas, e isso lhe traz ansiedade e angústia.

Em muitas pesquisas sobre o tema, li que à noite quando o bebê chorar, de preferência a mãe que deve ir até o quarto e não o pai, pois isso lhe traz mais segurança.  É importante que o bebê veja a mãe ali, porque ao apagar as luzes e sair do quarto ele pensa que ela foi embora e nunca mais voltará e isso o deixa desolado. Com o tempo, eles irão perceber que as pessoas e os objetos continuarão existindo, mesmo estando fora do campo de visão deles, e a angústia da crise da separação vai diminuindo. Já tentei colocar algum objeto de transição, como uma naninha, por exemplo, mas ele não pega de jeito nenhum! Durante a soneca da tarde, ele dorme com o meu travesseiro, pois tem o meu cheiro.

É muito importante que os pais ao perceberem esses sintomas no bebê, procurem se informar mais sobre o assunto, pois essa fase não deve ser ignorada. Com o Lorenzo, a angústia da crise da separação se iniciou aos 8 meses, mas ela pode também começar a partir dos 6 meses de vida! Então mamães, fiquem atentas a qualquer mudança no comportamento de seus bebês, e pesquisem muito sobre o assunto, pois o que estou escrevendo aqui foi o que li em vários sites, e o que vivenciei.

Para tentar ajudar o Lorenzo a passar por essa fase sem traumas, procuro fazer algumas brincadeiras com ele, como por exemplo, de se esconder e aparecer dizendo: – Achou a mamãe! Nunca saio de perto dele sem dizer onde estou indo. É importante também deixa-lo mais tempo com o pai, isso ajuda a formar o triangulo familiar e os laços entre os dois se estreitarem ainda mais! Dê ao seu bebê colo e a segurança que ele precisa, pois logo essa fase passará e tudo voltará ao normal!

E com vocês? Como foi na crise dos 8 meses? Seus bebês tiveram algum destes sintomas?

Super Beijo!

12 Comentários
Saúde e Bem Estar