•  12 ago 2015  •

Terror Noturno – Você sabe identificar?

Oi mamães! Vocês sabem o que é terror noturno? Conseguem identificar quando acontece? Essa semana, uma amiga me disse que o bebê dela está acordando de madrugada chorando muito. E pelos gestos dele, a pediatra disse que poderia ser terror noturno. Então resolvi pesquisar sobre o assunto para fazer este post para vocês. E agora lendo mais e conhecendo mais sobre o assunto, acredito que aqui em casa, com o Lorenzo isso tenha acontecido uma vez.

Não é difícil identificar o terror noturno, me lembro que o Lorenzo começou a chorar desesperadamente, foi tudo muito rápido, dei um pulo da cama e corri para pegá-lo. Apesar de estar no meu colo, ele não parava de chorar, tentei acalmá-lo, mas ele não parava. Não abria os olhinhos, então fomos para a sala, liguei a tv e ele se acalmou. Graças a Deus nunca mais aconteceu, espero que esse tenha sido um único episódio, porque assusta.

O que é Terror Noturno?

Cerca de 5% das crianças sofrem de terror noturno. Ele acontece quando a criança está dormindo profundamente, mas não sonha. Eles podem começar à partir dos 9 meses de vida, porém é mais comum em crianças em idade escolar, entre os 3 e 5 anos.

terror-noturno-infantil

Durante uma crise de terror noturno, que pode durar de alguns segundos até poucos minutos, a criança pode gritar, gemer, sentar na cama e se debater. Ao acordar, no outro dia, não se lembra do acontecido.

O terror noturno é diferente do pesadelo, o pesadelo acontece nas últimas horas do sono, faz com que a criança acorde e normalmente lembre sobre o que estava sonhando. O terror noturno costuma apavorar mais os pais do que a própria criança, uma vez que ela não se lembra de nada do que aconteceu nesse período.

O que se pode fazer na hora do terror noturno?

O melhor é não acordar a criança, ela pode despertar assustada e demorar mais tempo para se acalmar. É necessário acompanhar o momento,  oferecendo proteção, caso apresente sonambulismo ou comportamento agressivo e corra o risco de causar danos físicos a si mesma. Fique por perto até que a criança se acalme e volte a dormir ou, caso acorde, pode pegá-la no colo, dê carinho, deixe-a sentir-se protegida até que se acalme novamente. Os especialistas recomendam nem mesmo falar com a criança ou pegá-la no colo enquanto estiver chorando e com os olhinhos fechados, porque isso pode prolongar o episódio. Como eu não sabia sobre terror noturno, fiquei desesperada e tentei acorda-lo, queria que ele despertasse, mas esse não é o certo a fazer. Precisa ter calma, porque não é fácil ver seu filho chorar tão sentido e não poder fazer nada.

Posso colocar meu filho (a) para dormir comigo?

Essa não é a melhor opção. O problema não será resolvido desta forma, e a criança poderá desenvolver outra insegurança, a de dormir sozinha.

O que pode ser feito para evitar essas crises?

A primeira coisa a fazer é verificar se seu filho está dormindo o suficiente. Crianças que ficam cansadas demais, tem mais tendencia a passar por terrores noturnos. Clique aqui para saber mais sobre Como estabelecer uma rotina para o bebê.

Criar um ambiente tranquilo na hora de dormir ajuda a relaxar a criança ou o bebê para que fiquem mais tranquilos. O ritual do sono deve ser feito todos dos dias, sempre no mesmo horário.

Não existe uma frequência definida para que aconteça o terror noturno. Alguns podem ser semanalmente, num intervalo de 15 a 20 dias ou em casos mais graves, algumas vezes por noite. Preste atenção nos horários em que acontecem as crises. Uma dica é anotar no caderno, o dia, a hora e quanto tempo demorou a passar. Assim, você poderá ajudar seu filho, acordando-o de 10 a 15 minutos antes do horário em que crises costumam acontecer, com isso, o padrão de sono é alterado e há a possibilidade de o episódio de terror noturno ser evitado.

Os episódios de terror noturno tendem a desaparecer de forma natural conforme a criança cresce. Porém, pode ser necessário algum tratamento ou tomar algumas medidas para que ela não se machuque durante a crise.

Super beijo!

0 Comentários
Saúde e Bem Estar
Deixe seu comentário