•  24 nov 2015  •

Prisão de ventre em bebês

Oi mamães! Após a introdução de alimentos sólidos na dieta do bebê é comum que eles sofram de constipação. Quando o Lorenzo começou a comer papinhas salgadas, isso aconteceu com ele. E para falar a verdade para vocês, não foi nada fácil! Dói ver que eles tentam evacuar e não conseguem. E dói neles também! Me lembro da carinha dele vermelha de tanta força que fazia e ainda doía para sair. Graças a Deus isso durou somente uns 15 dias (somente eu digo agora, porque foi uma eternidade na época!). Tiveram dias em que eu chorei junto, vendo o sofrimento dele. Às vezes no meio da força que ele fazia, quando estava chorando  muito, eu o pegava no colo para acalma-lo. Não foi fácil!

beneficios-agua-de-ameixa

Todo bebê recém-nascido faz cocô várias vezes ao dia, principalmente aqueles que são amamentados ao seio. Já aqueles que mamam fórmulas, tendem a fazer menos e mais pastosos. É comum também que seja somente uma vez ao dia, ou até mesmo em intervalos de 2 a 3 dias. O que importa é o aspecto do cocô, desde que ele seja pastoso. Se estiver saindo duro, seco e em pedaços e estiver incomodando o bebê na hora de fazer força, ele pode estar ressecado.

É raro um bebê que mama no peito sofrer de constipação, isso porque o leite materno contém probióticos, que têm efeito semelhante ao da fibra alimentar solúvel. Isso estimula o crescimento de bactérias protetoras que, além de proteger contra doenças infecciosas, estimulam o funcionamento do intestino.

Com o ínicio da introdução alimentar o intestino dos bebês tendem a ficar mais “devagar” por conta de alguns alimentos como os cereais. Por isso é muito importante que a introdução seja feita com calma, com legumes, verduras e hortaliças no primeiro período. Fuja dos alimentos que causam prisão de ventre, como a maçã e cenoura. Vejam como iniciei a introdução alimentar do Lorenzo clicando aqui.

Durante o período em que o Lorenzo estava com prisão de ventre, mudei toda a alimentação dele, sempre buscando por alimentos com mais fibras. As papinhas eram feitas com batata doce, grão de bico, aveia, linhaça, feijão preto, ervilha, lentilha, brócolis, milho e abóbora.

Algumas frutas apesar de terem uma quantidade significativa de fibras, são conhecidas por “prenderem o intestino” como goiaba, banana maçã, maçã. Elas funcionam muito bem quando comidas com casca, mas esse não é o caso dos bebês.

Outra dica que me ajudou bastante nessa fase, foi fazer uma papinha de ameixa preta. Eu comprava aquelas sem caroço e cozinhava em pouca água ate se desmancharem. Batia no linquidificador e colocava em potinhos para dar de sobremesa. Ela é docinha e milagrosa!

Mamão com farelo de aveia ajuda no funcionamento do intestino também.

Aumente a quantidade de líquido que o bebê toma.

Faça exercícios de bicicleta com as perninhas do bebê, aquele que fazemos quando estão com cólicas. Caso o bebê já engatinhe, deixe-o por mais tempo no chão.

Massageie a barriguinha com um óleo próprio para bebês. Pressione com firmeza três dedos abaixo do umbigo, por cerca de três minutos.

Se seu bebê toma fórmula, verifique a possibilidade com o pediatra de trocar a marca.

Outra dica é em todas as trocas de fraldas, ter sempre um potinho com água morna, para pingar no anús do bebê com a ajuda de um algodão. Isso funcionava muito com o Lorenzo. É só erguer as perninhas e pingar, a vontade de fazer cocô logo aparece.

Supositórios e laxantes naturais só podem ser usados com indicação médica.

É importante que se converse com o pediatra do seu filho sobre incluir certos alimentos na dieta do bebê como a linhaça e a aveia.

0 Comentários
Saúde e Bem Estar
Deixe seu comentário