•  08 out 2015  •

O que eu mudaria ao ser mãe novamente…

Oi mamães! Vocês já se perguntaram o que fariam de diferente depois de ter tido filho? Algumas leitoras sempre me perguntam se eu mudaria algo. A verdade é que nós mães sempre achamos que poderíamos ter feito mais e melhor, vivemos nos culpando. Esses dias eu estava muito cansada, tinha dormido super mal, e passei o dia com dor de cabeça. Ah, lembrei porque! rs Eu tinha ficado a noite anterior até as 2:30hs da manhã assistindo a Katy Perry no Rock in Rio e no dia seguinte (Lei de Murphy) o Lorenzo não quis dormir à tarde! Pronto, fiquei caída de sono e com dor de cabeça. Depois que dei a janta dele eu coloquei um desenho pra ele assistir e dei uma cochilada, no tapete mesmo. Na hora do jantar, meu marido perguntou como foi nosso dia e eu caí no choro rs. Disse que tinha deixado ele brincando sozinho por alguns minutos (e foram minutos mesmo) e que estava me sentindo culpada.

 

FOTO-062

Às vezes eu procuro não ficar pensando no que eu poderia ter feito diferente, porque a culpa dói. Não que eu tenha sido negligente em algum cuidado com ele, muito pelo contrário, dedico meu dia à ele, mas vocês me entendem né?

Bom, parando para pensar no que eu mudaria se o Lorenzo tivesse nascido hoje, ou o que eu gostaria (e vou) fazer diferente com o próximo filho seria:

  • Primeiro de tudo: Não ficaria mais nervosa achando que o Lorenzo nunca iria dormir uma noite inteira. Gente, eu sentava na mesa para jantar com a babá eletrônica do lado e ele demorava tanto pra dormir que até me dava uma coisa rs. Eu ficava desesperada!

 

  • Segunda:  Teria mais paciência e cautela ao entrar no quarto dele após uma simples resmungada. Eu não sabia que os bebês passavam por ciclos de sono e quando isso acontecia, eu entrava no quarto e atrapalhava o sono dele. Pronto, ele acordava e demorava para dormir outra vez!

 

  • Terceira: Ensaio New Born – Gente, se arrependimento matasse, estaria eu, lá longe! Eu não fiz ensaio new born com ele porque achava que poderia “judiar” dele tão pequenininho. Fiquei um tempo sem sair de casa quando ele nasceu, e achei que ir para um estúdio era demais. Hoje, existem ensaios em nossa própria casa, então, não deixem de fazer! Agora fica uma coisa, será que faço com o segundo filho? Será que o Lorenzo não vai perguntar porque ele não teve? ai….

 

  • Quarta: Teria saído mais. Tá certo que o Lorenzo nasceu no final de março, e já fazia um friozinho. Mas eu só saí com ele para passear quando ele estava com 4 meses. Já tinha tomado as principais vacinas e só então tomei coragem para sair. Acho que isso se deve ao fato (também) de que eu tinha medo de dirigir estando sozinha com ele. Não sei se vocês tiveram essa mesma sensação que eu, mas eu achava que era muita responsabilidade, e tinha medo de não dar conta. Enfim, no dia em que saímos juntos pela primeira vez e sozinhos ele não chorou nada, foi quietinho no bebê conforto até o shopping e isso me deu mais coragem para sair mais vezes!

 

  • Quinta: Pediria mais ajuda. Assim que chegamos em casa eu concentrava todas as tarefas relacionadas ao Lorenzo somente em mim. Isso é normal porque você chega com aquele serzinho que depende de você e tudo é novidade. Meu marido era responsável pelo banho, e nem naquele momento eu me dava ao luxo de sentar e esperar ele vir trocadinho e cheirosinho para os meus braços. Não que meu marido não ficava com ele, mas eu ficava em cima, ensinando como tinha que ser, dando palpites ou até mesmo só olhando. Hoje, com certeza deixaria ele (meu marido) ou outras pessoas (mãe, irmã, sogra) me ajudarem mais.

 

  • Sexta: E por último… me culparia menos! Eu sei e tenho plena consciência de que eu sou a melhor mãe que eu posso ser. Mas quem disse que isso funciona 24 horas por dia? Quem disse que quando estou lá, me culpando por algo essa consciência aparece e me diz: Você se lembra que você é a melhor mãe do mundo para o Lorenzo? Mas tem uma coisa que me acalma. É ouvir meu marido dizer isso! Meu olho até se encheu de lágrimas agora rs. Mas quando ele diz que eu sou a melhor mãe do mundo, e que o Lorenzo não poderia ter mãe melhor, meu coração se acalma. E como eu sei que você que está lendo, algum dia já se sentiu assim, eu vou te dizer que você é a melhor mãe que o seu filho poderia ter! Você é carinhosa, faz as coisas para o seu filho com todo amor, educa, alimenta, coloca para dormir, dá beijinhos, fica em casa, trabalha fora, acorda à noite, corre para o hospital, chora nas vacinas.

Não importa o tempo que você passa com o seu filho, o que importa é a qualidade e o amor envolvido nele! Ser mãe é a “profissão” mais linda que existe!

2 Comentários
Saúde e Bem Estar
2 Comentários
  1. Daiane Sampaio   em 10/10/2015 - 07:42

    Passei por tudo isso.. as vezes nos culpados mesmo por uma palavra negativa pronunciada, pela falta de paciência que as vezes aparece… chorei e me vi no seu post.. bjuss.. cada uma é a melhor mãe do mundo para seu bebê.

Deixe seu comentário