•  07 set 2015  •

Férias com bebê em Miami

Oi Mamães! Hoje vou contar pra vocês como escolhemos passar nossas férias com bebê em Miami! Como vocês já sabem, esse mês tiramos férias e um dos nossos destinos foi Miami. Quando estávamos planejando a viagem, isso há uns 5 meses atrás, nosso objetivo era somente dar uma passada em Miami para fazer o enxoval do Lorenzo até os 3 anos. Mas ai, o dólar foi aumentando, aumentando… e hoje está praticamente R$ 4,00 e então vocês já sabem né?! Desistimos! Desistimos do enxoval, mas ainda mantivemos a rota de passar por Miami e depois ir para Punta Cana. Em Miami, comprei apenas algumas coisinhas que o Lorenzo estava precisando como pomada para assadura, Soothing Vapor da Johnson & Johnson, Boogie Wipes, algumas peças de roupas (pijamas, bermudas, camisetas) e alguns calçados. Encontrei apenas algumas coisas de verão, porque todas as lojas já estão com a coleção de inverno. Aproveitei para comprar protetor solar, fraldas, fraldas de piscina, bóia, tudo para usar em Punta Cana.

Se você está indo para Miami, ou até mesmo outros lugares dos EUA não deixe de ir até o Walmart e ao Target. Sempre fui em Outlet fazer compras, mas desta vez, como não tinha muitas coisas para comprar, fomos nestes hipermercados e compramos tudo por lá! Pijamas da Disney por U$ 6,00 – Pijamas Carters U$ 15,00 com 2 conjuntos – Bermudas e camisetas U$ 4,00. Lá você irá encontrar muitas roupas, fantasias, brinquedos, maquiagens (me acabo nesta sessão), produtos de higiene pessoal (adoro comprar shampoo, mascara de hidratação) tudo por um preço mais em conta que nas próprias farmácias. Então minha dica é: Faça uma lista do que você precisa comprar, vá até um desses hipers e compre primeiro por lá. Você vai ver que realmente é mais barato.

Bom, agora a dica mais valiosa é para viajar com os pequenos. Lorenzo está com 1 ano e 5 meses, nosso planejamento foi exatamente para quando ele estivesse com essa idade. Queria que ele já estivesse andando, comendo comida “normal” assim as coisas ficariam mais “fáceis”. Como já disse, Miami seria apenas um “pit-stop”, nosso destino mesmo era Punta Cana. Na verdade a escolha de Miami foi minha, o marido queria mesmo é ir direto para Punta Cana, sem ter que fazer compras (ele odeia) mas qual homem ama né? rs

Decidimos que viajaríamos durante a noite, assim o Lorenzo dormiria no avião. Comprei alguns brinquedos (baratinhos) e guardei, como eles nessa idade enjoam de tudo, só dei no avião para ser “novidade”. Baixei alguns desenhos da Peppa Pig no Ipad, Galinha Pintadinha e alguns outros (tudo para o bom entretenimento da criança). Levei uma mala somente com as coisas dele, roupas, remédios (a farmacinha da tia Flá, pediatra do Lorenzo), leite em pó, lençol de berço, blusa de frio, roupas de calor, uma toalha, algumas fraldas, escova de dentes, mamadeiras, cotonete,calçados, pijamas, babá eletrônica, levei também o projetor que toca musiquinhas assim o Lorenzo teria algo que lembrasse de casa (o que ajudou e muito ele a dormir no hotel). Não se esqueça de levar também termômetro, protetor labial (o ar condicionado do avião resseca a boquinha deles), soro fisiológico para lavar o narizinho (comprei Rinossoro, joguei fora e enchi com o soro).

Nossa ida não foi como eu imaginei e esperava. O Lorenzo dormiu super pouco no avião. Ele estranhou muito, chorava, ficava olhando tudo, queria ficar andando pra lá e para cá. Os desenhos no Ipad, e os brinquedos que levei ajudaram, mas foi bem difícil. Conseguimos uma poltrona no nosso meio vazia, o que ajudou muito em questão de conforto. Por fim, ele dormiu umas 2 horinhas seguidas, o que deixou ele bem cansado.

Daí desce do avião, pega carrinho, passa na imigração, pega as malas, vai buscar o carro… e enfim chegamos no hotel. Se você vai levar o carrinho do seu filho (preferi levar o nosso que comprar um guarda-chuva por questões de conforto também) uma dica é levar uma sacola (aquelas bem grandes, não sei o nome, mas tipo de “sacoleira”) para colocar o carrinho dentro. Algumas amigas disseram que os carrinhos voltaram quebrados, amassados, sujos. Você pode ir com o carrinho até a porta do avião, lá você fecha o carrinho, coloca dentro da “sacola”, coloca a etiqueta que a companhia fornece e pronto! Não tivemos sequer um arranhão no carrinho do Lorenzo, já a sacola voltou furada e bemmm suja! Fica a dica!

O hotel que ficamos está localizado em Miami Beach, local privilegiado, perto de tudo, porém não estava preparado para receber crianças. Quarto pequeno para malas, carrinho, bolsas. Não havia microondas para esquentar a água do leite do Lorenzo e as papinhas que levamos! Os funcionários do hotel, gentilmente esquentavam para nós no seu próprio refeitório. Era um transtorno! Outra dica importante é: se o seu filho come papinhas industrializadas, leve várias! Foram elas que me salvaram, uma pena que não levei muitas! Somente papinhas industrializadas são aceitas nas bagagens, líquidos também tem uma quantidade máxima permitida nas bagagens de mãos, verifique com a companhia aérea.

Como eu não queria ficar oferecendo papinha industrializada para o Lorenzo, fomos atras de comidas saudáveis. Tivemos várias tentativas frustradas, tentei restaurantes (diversos) porém praticamente todos os “Kids Menu” ofereciam finger foods (hamburguer, Nuggets, Macarroni and Cheese). No restaurante do hotel que ficamos, havia somente um tipo de comida para crianças, que era Nuggets e purê de batatas, não tinha sequer legumes cozidos. Mais uma vez a papinha industrializada me salvou. Comecei a ficar desesperada pois a alimentação do Lorenzo estava se tornando um pesadelo pra mim. Foi ai que lembrei do Whole Foods, um supermercado orgânico. Fomos até lá, pois eu sabia que eles faziam comida para self-service. Para minha decepção, a comida era temperada com pimenta. Peguei somente arroz branco e brócolis. O Lorenzo nem abria a boca para comer. Desistimos. Peguei algumas papinhas orgânicas, antes de oferecer para o Lorenzo eu provei e… cuspi. Não dava, o gosto era horrível.

A noite fomos jantar no restaurante Carrabba’s (da mesma rede do Outback) que aqui no Brasil se chama Abbraccio. Restaurante Italiano, comida fresca. O menu kids era sem dúvidas, o mais “normal” que eu tinha visto. Pedimos macarrão com almondegas, e para felicidade geral da nação o Lorenzo comeu tudo! Ufa, naquele momento comecei a chorar, porque havia tirado uns 50 elefantes das minhas costas, me senti leve. E se era aquilo que o Lorenzo comia, era aquilo que ele ia comer o restante dos dias. Ficamos em Miami apenas 3 dias, mas o suficiente para me arrepender.

Para quem vai a Miami para ficar mais dias, aconselho pegar um hotel que tenha cozinha, assim você mesma faz a comida da criança. Leve com você aqueles potes da Thermos Foogo, que mantem a comida aquecida por algumas horas, assim você poderá passear sem preocupações. Os lanchinhos da tarde, foram mais tranquilos, porque compramos frutas já cortadas no pote, iogurtes, sucos naturais e orgânicos.

Tenha sempre na bolsa da criança um casaco de frio. Quando estávamos em Miami, a temperatura era de 32°, e o entra e sai do ar condicionado pode deixar a criança resfriada. Além da blusa de frio, eu tinha um paninho que usava para cobrir as perninhas do Lorenzo.

Apesar de ter me preparado para várias situações que pudessem acontecer, ás vezes o controle foge de nossas mãos, precisamos manter a calma e relaxar. Afinal, férias são férias. No voo de volta, deu tudo certo, o Lorenzo dormiu por umas 5 horas seguidas, consegui dormir um pouco e até assistir um filme!

No próximo post vou contar para vocês como foram nossas férias de “verdade” em Punta Cana. Acertamos na escolha do hotel, descansamos e curtimos muito!

Espero que essas dicas possam ajudar as mamães que estão planejando uma viagem com seus filhos!

Super beijo!

2 Comentários
Compras, Saúde e Bem Estar
2 Comentários
  1. Melissa Cortez   em 10/09/2015 - 12:23

    Complicado mesmo encontrar comida saudável lá, hein! Que sufoco! Ainda bem que deu tudo certo! Quero a segunda parte da viagem! =)

Deixe seu comentário