•  21 nov 2016  •

“Ela não queria”. Pais criam campanha para alertar sobre a importância do uso da cadeirinha

“Ela não queria… eu aceitei e nós a perdemos. Use a cadeirinha”. O alerta, feito pelos empresários Sandra e Rembrandt Cordeiro, pode ser lido em um outdoor na cidade de Barreiras (BA) e em postagens no Facebook. Em 2009, o casal perdeu a filha caçula Emilly Raquel, na época com 3 anos, em um acidente de trânsito e, desde então, decidiu criar uma campanha para conscientizar as pessoas em relação à segurança de crianças dentro do carro.

emily1

Emilly Raquel (Foto arquivo pessoal)

 

Quando o acidente ocorreu na BR 242, próximo a cidade de Ibotirama (BA), Emilly não usava a cadeirinha e foi a única vítima fatal. No carro, que capotou por causa de uma depressão da pista em obras, também estavam a mãe, a tia, grávida de 3 meses, e o tio da menina. A família voltava de uma visita de fim de semana à casa dos avós. “Tem dias que a saudade é tão intensa que dói, chega a arder”, contou Sandra em entrevista a CRESCER. “Mas a fé que tenho no nosso reencontro e o apoio de minha família é o que me faz suportar a partida do nosso anjo”.

Hoje, a família mantém uma página no Facebook chamada Amigos da Emilly, em que divulgam ações feitas para honrar a memória da menina. Entre elas, estão a colocação de painéis publicitários, sobre a conscientização do uso da cadeirinha e do cinto de segurança, e a organização de eventos infantis com cama elástica, tobogãs, piscina de bolinhas, máquina de algodão doce e pipoca em um parque infantil adquirido pela família. A ideia é levar entretenimento às crianças mais carentes do município.

Os painéis publicitários foram uma das ações mais recentes dos pais de Emilly. ”A ideia do outdoor com a mensagem da cadeirinha foi para alertar os outros pais da importância do uso”, afirma Sandra. “Realmente, é preciso fazer a coisa certa, e não se render à birra dos filhos quando eles não querem usar a cadeirinha ou  o cinto”. Com a campanha, os pais esperam mudar para melhor as histórias de outras famílias.

 

Fonte: Revista Crescer – http://revistacrescer.globo.com/

0 Comentários
Saúde e Bem Estar
Deixe seu comentário