•  20 set 2016  •

Adaptação escolar

Oi mamães! Hoje vou contar para vocês como está sendo a adaptação escolar do Lorenzo. Faz uma semana que as aulas começaram e graças a Deus tudo tem  saído melhor do que imaginei.

Aqui nos EUA ao escolher a pré-escola em que seu filho irá ficar, você também podará escolher quantas vezes na semana ele irá frequentar. Quando escolhemos a escolinha, a principio ele ficaria somente 3x por semana meio período. Porém, quando a data de inicio foi se aproximando, resolvemos deixa-lo todos os dias, assim seria melhor para ele ter mais contato com a língua inglesa e ter um convívio social maior e para mim que poderia estudar e fazer outras coisas durante essas horas. No fim, essa foi a melhor escolha que fizemos.

Nos dois primeiros dias de aula, ficamos apenas 1 horinha na sala para conhecer os amiguinhos, a professora e o ambiente. Um mês antes do inicio das aulas (aqui nos EUA o ano letivo começa em setembro, no finzinho do verão) levamos o Lorenzo na escolinha para já ir se familiarizando com o ambiente. A escola é uma graça, bem aquilo que vemos em filmes americanos sabe? Os corredores cheio de trabalhinho da criançada, um ambiente acolhedor.

14429177_1117522811667482_1885633021_n

14397490_1117522801667483_444418811_n

14408739_1117522821667481_1566806744_n

A escola que escolhemos é bem familiar, não muito grande. Ela existe há 65 anos, e só vai até o kindergarten (5 anos de idade). Essa escola é o que chamamos de Cooperative School. Onde há uma participação efetiva dos pais em alguma atividade ou responsabilidade. Podemos assistir de perto e participar da educação juntamente com os professores.  Por exemplo, me candidatei para ajudar no piquenique de outono, para o teatrinho no inverno e também para ajudar na limpeza da cozinha. Meu marido ficará responsável pelo planejamento financeiro do próximo ano letivo. Além disso, uma vez por mês, as mães ou os pais que não trabalham fora, são escalados para ajudar com as atividades em sala, passando assim, o tempo da aula ajudando a professora no que for necessário.

Também podemos ir outras vezes participar de alguma atividade com as crianças, como tocar violão, contar historinhas, apresentar nossa cultura (no nosso caso do Brasil) como músicas, danças, comidas etc.

Eu amei tudo isso! Poder estar perto do meu filho a hora que eu quiser e colaborar para o crescimento e bem estar da escola em que ele está, para mim é um prazer imenso!

14389765_1117522808334149_1351184636_n

Voltando a adaptação, os dois primeiros dias ficamos apenas 1 horinha, conhecemos a professora e a assistente dela, os pais e os amiguinhos. Já na primeira semana efetivamente falando, o horário foi o normal, e para nossa surpresa não precisamos ficar na sala junto com o Lorenzo. Percebi que ele estava amando o ambiente, e não estava fazendo questão da minha companhia. Fiz um teste, dei tchau, um beijo e avisei que estava indo pra casa, que depois voltava para busca-lo. Ele virou para mim eu disse: Bye bye mom!!! Meu coração se encheu de alegria e bateu uma vontade enorme de chorar! Chorar de alegria, de satisfação, de ter acertado na escolha da escolinha e do tempo certo.

E a semana toda foi assim, faço questão de avisa-lo que estou indo embora e que volto para pega-lo. Aliás, recebemos uma cartinha da escola explicando da importância de não sair escondido. Vou fazer a tradução e depois compartilho com vocês aqui porque é super interessante!

Saio de lá com o coração em paz, com a certeza de que meu filho está seguro, que será bem cuidado, e principalmente num ambiente que ele ama.

14397994_1117522815000815_1651367956_n

Lorenzo é o mais novo da turminha, tirando uma amiguinha que nasceu em janeiro de 2014 e ele em março, os outros amiguinhos nasceram em 2013. Como toda criança desta idade, Lorenzo ainda não sabe compartilhar os brinquedos. Ele até deixa os amiguinhos pegarem o brinquedo que ele está brincando, porém, quando ele quer algo que outra criança está brincando, ele puxa, chora e faz aquele escândalo. Muitas vezes eu consigo contornar a situação, tiro o foco mas ao mesmo tempo explico que ele precisa entender que naquele momento o brinquedo não está disponível para ele brincar.

Semana passada fui até a escola na hora em que eles iam brincar lá fora. Foi sugestão da professora para que quando isso acontecesse, eu pudesse explicar para ele em português que ele poderia brincar depois que o amiguinho brincasse. Não recebemos nenhuma reclamação, nem fomos chamados na escola. Nós queremos ensina-lo desde cedo a compartilhar com os amiguinhos, e se a escola nos permite participar de tão perto, devemos aproveitar!

É claro que para uma criança que vem de outro país, com outra cultura é um pouco mais “desafiador” o inicio da vida escolar. Lorenzo está começando a entender algumas palavras em inglês, já fala algumas, porém, 90% do tempo a língua ainda é um pouco estranha.

Sempre converso com ele explicando que não se deve puxar o brinquedo das mãos do amiguinho, falo que se ele quiser brincar com aquele determinado brinquedo, ele precisa esperar a vez dele chegar. Não é fácil, ele não entende porque tem que esperar, claro, ele é só uma criança de 2 anos e meio, mas eu fico ali, insistindo, conversando, sem brigar, sem me alterar. Sei que vai chegar uma hora que ele irá entender, e todo meu esforço valerá a pena!

Outro dia li uma frase que diz assim: Educar dar trabalho, se você não está tendo, é porque não está educando!

E é bem isso mesmo, nosso papel é educa-los para o mundo, para a sociedade. Tento mostrar para o Lorenzo que nem sempre ele terá tudo o que quer. Que às vezes é preciso esperar, e que ele ficará sim, frustrado algumas vezes.

Nossa adaptação tem sido ótima, e é claro que isso tem colaborado para que o meu coração de mãe esteja tranquilo para seguir em frente! Sempre!

 

Super beijo!

4 Comentários
Saúde e Bem Estar
4 Comentários
  1. Juliana   em 20/09/2016 - 22:05

    Adorei ler seu texto, é tão suave que dá vontade de não acabar. Adorei saber da adaptação do Lorenzo.

  2. Márcia   em 21/09/2016 - 00:39

    Adorei o texto….. Ainda mais a 4 dias da nossa ida para uma nova vida nos EUA, assim como vc….
    Minha filha tem 1 ano e 5 meses e estou bem receosa por conta da adaptação dela, mesmo não pensando em colocá-la em uma escolinha agora.
    Qts anos tinha o Lorenzo quando vcs foram para os EUA?!
    Muito obrigada por compartilhar suas experiências….

    • Josi Alves   em 21/09/2016 - 15:34

      Oi Márcia! Que legal!!! Boa sorte na sua nova jornada! Não se preocupe com a adaptação da sua filha! Tudo para eles é mais fácil! Lorenzo tinha exatamente a idade dela, 1 ano e 5 meses. Valeu a pena esperar um ano para coloca-lo na escolinha! Grande beijo!

Deixe seu comentário