•  04 jan 2017  •

Adaptação escolar do Lorenzo nos EUA

Oi mamães! No post de hoje vou contar como foi a adaptação do Lorenzo na escolinha e o que tivemos de evolução nestes 3 meses.

Se você está em duvidas se coloca ou não o seu filho na escola, este post é para você!

Eu sempre quis e graças a Deus consegui, ficar com o Lorenzo até os dois anos de idade. Isso era uma vontade minha, um desejo que eu sempre tive antes mesmo de pensar em engravidar. Na minha opinião, uma criança de 2 anos já sabe se comunicar (do seu jeito), já é independente e acredito que essa é uma ótima idade para “ganhar o mundo”. Claro, isso cabe à mim, ao meu estilo de vida, nem todas as mães podem ficar em casa com os filhos, e assim que termina a licença maternidade (que infelizmente é pouquíssima) o bebê tem que ir para a creche ou ficar com babá.

Eu gostaria de ter voltado a trabalhar assim que ele completasse dois aninhos, mas com 1 ano e meio viemos morar nos EUA. Daí, para mim foi como se eu tivesse começado do zero. Tudo novo, casa nova, país novo, nova cultura, língua nova.

Eu já contei aqui como foi a escolha da escolinha, um dos fatores mais importantes na tomada de decisão.

Enfim, o ano letivo começou, aqui nos EUA começa em setembro, e para minha surpresa e alivio Lorenzo já no primeiro dia não fez questão da minha presença na sala e não teve dificuldade alguma com a língua.

Já havíamos ensinado algumas palavrinhas em inglês pra ele, só para ficarmos mais tranquilos quanto a adaptação,  ele aprendeu rapidinho e no final do primeiro dia já veio pra casa com mais duas palavrinhas novas.

Lorenzo repete tudo o que falamos, isso faz com que o aprendizado seja mais rápido, porque ele repete muitas vezes e não se esquece mais.

Eu tive muita sorte de ter tido zero de problemas na adaptação, no segundo dia fiz até lanchinho pra mim, quando fui no banheiro, avisei que estava saindo e ele disse: “Tchau mamãe, vai com Deus”. Ele simplesmente amou a escola! Antes das aulas começarem, levei ele para fazer um tour na escola, conhecer o ambiente, mostrar pra ele o lugar que ele ficaria sem mim, eu explicava que ali ele iria brincar e fazer novos amiguinhos. Ele de cara gostou, principalmente porque na sala dele tem um sapo dentro de um aquário, e ele saiu de lá encantado.

Eu senti que com 2 aninhos eu já não conseguia mais ensinar tudo o que ele necessitava, com essa idade eles são como esponjinhas, aprendem tudo muito fácil e rápido! Esperamos mais 6 meses, porque ele só podia ser aceito com 2 anos e meio.

Tudo está indo muito bem graças a Deus! Lorenzo esquece o português assim que entra na sala, se vira, conversa, canta, já está todo independente!

Outra coisa que mudou foi o comportamento. Nessa idade eles não entendem que precisam ficar sentados para fazer uma atividade, que precisa retirar o pratinho da mesa, lavar as mãos, guardar os brinquedos por exemplo. No primeiro mês eu fiquei um pouco desanimada achando que o Lorenzo não iria participar das atividades em grupo, porque muitas vezes eu chegava para buscá-lo e ele estava brincando sozinho. Mas isso mudou!

Como já contei em outro post também, 2x por mês eu fico na sala dele para ajudar as professoras. Não só eu, tem uma escala com todas as mães ou pais que possam ficar. Lá, fazemos de tudo, contamos histórias, preparamos os snacks, brincamos, ajudamos com a limpeza. E eu fui percebendo a evolução dele nestes momentos, porque posso acompanhar de perto. Ele arruma os brinquedos na hora do clean up time, lava as mãos antes do lanche, senta para ouvir a historinha, tira o copinho e pratinho da mesa quando termina. É maravilhoso ver a evolução de um ser tão pequeno que mal saiu dos nossos cuidados. E ele não fica grudado em mim quando estou lá não! Lorenzo é independente, gosta de fazer as coisas sozinho.

Eu já sabia que a escola traz uma certa independência, que tem uma parte relevante na formação da personalidade de uma criança, mas eu não queria pensar que isso pudesse acontecer antes dos dois anos dele. Eu achei que iria ser mais difícil por conta da cultura, de não termos nascido aqui de fato, mas não houve diferença alguma comparado se estivéssemos no Brasil. O fato dele ter um vocabulário extenso em português e ter entrado na escolinha com 2 anos e meio, fez com que ele se familiarizasse mais rápido com a língua inglesa.

Tenho uma amiga que mudou faz pouco mais de 4 meses pra cá, o filho dela tem 4 anos. Ele teve um pouco de dificuldade na adaptação porque já veio de outra escola no Brasil, já é totalmente independente e domina a língua portuguesa.  Mas em apenas 3 meses de escola ele já está adaptado, já participa de todas as atividades em grupo, já entende o que a professora diz e assim como o Lorenzo, já conversa em inglês.

 

Eu tinha dois desafios:

  1. Cortar o cordão umbilical com o Lorenzo.
  2. Enfrentar as possíveis dificuldades que chegariam com a diferença de língua e cultura.

Mal sabia eu que de desafio não teria nada! Fiquei com o coração apertado apenas uma vez quando voltei pra casa sem ele, cheguei, sentei no sofá e me perguntei: O que eu faço agora?

Mas quando você encontra o lugar certo, o lugar que você confia, o teu coração fica em paz.

Super beijo!

0 Comentários
Saúde e Bem Estar
Deixe seu comentário