•  08 maio 2015  •

10 coisas que aprendi quando me tornei Mãe

Oi Mamães! Um filho muda tantas coisas em nossas vidas não é mesmo? Hoje, listei para vocês 10 coisas que aprendi quando me tornei mãe.

1- Que meu sono passaria de leve para super hiper mega leve.

Gente, é certo que quando eles ainda estão em nossa barriga a gente levanta de hora em hora para fazer xixi, acho que isso já é um treinamento para a chegada deles. Eu nunca tive o sono pesado, mas também não acordava com tanta facilidade. Se ele respira um pouco mais forte, pronto, lá estou eu com a cara enfiada na babá eletrônica.

2 – Que eu deixaria de comprar coisas para mim para comprar pra ele.

Nossa, essa é fantástica. Quem é mãe sabe que a cada ida ao shopping é uma tentativa frustrada de comprar alguma coisa para nós. Seja por falta de paciência (principalmente quando estamos com eles), seja por prioridade, mas sempre que vejo alguma coisa legal, um brinquedo ou uma roupa, acabo comprando para ele e saio sem nada para mim.

3- Que meus programas favoritos são aqueles onde posso levá-lo.

Depois que nos tornamos mães, sair sozinha com o marido vira quase missão impossível. Eu ainda tenho sorte de ter minha mãe morando perto, sempre que preciso ela fica com o Lorenzo para mim, mas sei que muitas não tem alguém que possa ficar com o filho para ir nem que seja ao cinema, jantar fora, uma saidinha rapidinha. Então, temos que nos adaptar a lugares que possam receber nossos filhos. Se meu filho não pode ir, eu também não vou!

4- Aprendi o que é amor e amar de verdade.

Mamães, falando sério, o que é esse amor hein? Um amor que transborda, e ao mesmo tempo dói. Que transformação é essa quando temos um filho? É divino, inexplicável. A gente sempre acha que amamos com toda força do mundo alguém, mas experimenta ter um filho para você ver o que é amar de verdade.

5 – Aprendi a mudar minhas prioridades.

É claro que não devemos deixar de nos cuidar quando temos um filho, até porque antes de nos tornarmos mães, somos mulheres, esposas, profissionais. Mas um filho muda nossas vidas, e acabamos ficando em segundo plano sempre.

6- Aprendi a acordar cedo.

Nada de noites inteiras ininterruptas com aquele sono gostoso. Dormir assim é luxo para poucos. E acordar tarde então? Nem pensar. Eu nunca gostei de acordar cedo, nunca me acostumei com isso. A minha sorte é que o Lorenzo sempre foi muito bonzinho para dormir. Mas não adianta, mesmo com ele dormindo 12 horas direto eu não consigo dormir sem acordar e olhar pela babá eletrônica se ele está respirando.

7- Paguei minha língua.

É incrível como o ser humano gosta de criticar os outros. Eu sempre gostei de crianças, mas se tinha uma coisa que me fazia parar para pensar e “julgar” os pais era quando eu via no shopping ou supermercado uma criança se jogando no chão chorando e gritando querendo alguma coisa. Era muito fácil dizer que a culpa era dos pais, depois que tive o Lorenzo, mesmo ele sendo pequenininho nunca mais julguei ninguém, até porque existe aquele negócio de cuspir para cima e cair na testa né?

8- Aprendi que mãe é mãe e ponto!

Jamais quero desmerecer pai algum, muito menos meu marido, mas cá entre nós, mãe é mãe não é mesmo? A figura de um pai é essencial na vida de uma criança, e quando eles são recém-nascidos precisamos muito de apoio e ajuda. Mas TUDO gira em torno de nós. Se estão doentes é a mamãe que chamam, se querem ir ao banheiro é a mamãe que vai junto, para dormir é a mamãe que conta história e faz um cafuné, se caem é a mamãe quem dá colo e beijinho para sarar.

9- Aprendi a valorizar ainda mais a minha mãe.

É bem verdade aquilo que nossas mães falavam quando éramos adolescentes e dávamos trabalho porque queríamos ir a baladas e voltar somente no outro dia. “ Você só vai dar valor ao que eu falo um dia quando você for mãe”. Preciso falar algo mais ?

10- Aprendi a ter paciência.

Está aí uma coisa que pensei que não tinha, mas para minha surpresa tenho de sobra. Mas não foi de uma hora para outra que a conquistei, é um exercício diário, mas que faz bem a todos. Quem é mãe sabe do que estou falando, e não é preguiça de cuidar do nosso filho, pelo contrário, fazemos com muito amor, mas somos humanas e ficamos estressadas quando alguma coisa sai do nosso controle. Outra coisa que precisei aprender foi a “ignorar” os comentários e palpites de pessoas intrometidas.

Alguma mamãe se identificou?

Super beijo

2 Comentários
Gravidez
•  07 maio 2015  •

O que você vai ser quando o seu filho crescer?

Oi mamães! Esse vídeo Nestlé Ninho está fazendo o maior sucesso nas redes sociais e já foi visto por milhares de pessoas. Não é a toa, ele é lindo! O que você vai ser quando o seu filho crescer? Você sabe responder isso? Eu não tinha pensado nisso até ver este vídeo. Confesso que chorei, me arrepiei… Como é linda a palavra Mãe não é? Como é gostoso ser mãe! Fiquei imaginando, o Lorenzo deste tamanho, falando sobre mim… Nossa, só de falar nisto já estou chorando outra vez rs. Este é meu segundo Dia das Mães com ele, ano passado, ele tinha apenas 2 meses de vida, e fiquei toda orgulhosa quando alguém me dizia: Feliz Dias das Mães! Nossa, e hoje, ele com 1 aninho, fico mais orgulhosa ainda, pois só nós mães, sabemos como é difícil cuidar, criar um filho, principalmente no seu primeiro ano de vida. Fico imaginando a primeira vez que ele fizer uma homenagem do Dia das Mães na escolinha, alguém precisará estar ao meu lado, porque com certeza vou passar mal de tanto chorar!

Este vídeo me emocionou muito, é incrível como somos solidárias com outras mães não é mesmo? Só de ver lágrimas nos olhos das mães do filme, me derreti todinha!

Ser mãe, é a melhor profissão do mundo sem dúvida alguma! E é melhor ainda quando temos como recompensa um abraço carinhoso, um beijo molhado e um Eu Te Amo Mãe!

Assistam o vídeo, e se emocionem como eu! Vejam as respostas dos pequenos, eles sabem muito bem o que seremos quando eles crescerem!

Super beijo!

0 Comentários
Saúde e Bem Estar
•  06 maio 2015  •

Bebê Resfriado – Produtos que uso e recomendo

Oi mamães! Uma das coisas que nos deixam mais aflitas com a chegada do inverno é o medo de ver o nosso bebê resfriado ou gripado!

A gente sabe que com a queda das temperaturas os bebês e as crianças são alvos fáceis para uma gripe ou resfriado. Começam a aparecer doenças respiratórias e nós fazemos de tudo para evitar que nossos filhos fiquem doentinhos. Por isso, reuni algumas dicas que pesquisei na internet para que essas doenças passem bem longe de nossas casas. Com medidas simples no dia a dia, podemos prevenir as alergias respiratórias e a transmissão de gripes e resfriados. Neste post também mostro para vocês os produtos que uso no Lorenzo quando ele fica resfriadinho

Lembrando que essa semana começou a campanha de vacinação contra a gripe na rede pública, se você faz parte do grupo prioritário ou tem bebês acima de seis meses e menores de cinco anos, não deixe de vaciná-los.

Algumas dicas:

  • Amamentação sempre em primeiro lugar! Junto com o leite materno o bebê recebe anticorpos
  • Alimentação que reforce o funcionamento do sistema imunológico, ofereça sopas e cremes de legumes e verduras que fornecerá vitaminas e minerais
  • Evite levar seu filho em locais fechados e aglomerados como shoppings
  • Aplique soro fisiológico várias vezes ao dia no narizinho para evitar o ressecamento da mucosa e entupimento das vias nasais
  • Ofereça bastante líquido para que fiquem hidratados
  • Mantenha a casa sempre limpa e arejada
  • Cuidado ao usar o umidificador, evite deixar que o local fique úmido demais favorecendo a proliferação de fungos
  • Durante o banho, deixe o banheiro esfumaçado de vapor
  • Se seu filho vai para a escolinha ou creche, não o deixe ir caso ele esteja doente
  • Inalações com soro fisiológico podem ajudar o bebê a eliminar o catarro das vias aéreas. Peça orientação médica
  • Eleve a cabeceira do berço usando um travesseiro anti-refluxo ou uma toalha, assim facilitará a respiração quando o bebê estiver com o nariz entupido
  • Feche todas as janelas da casa para evitar que entre corrente de ar frio na hora do banho do bebê ou da criança.
  • Evite expor a criança em ambientes onde há fumantes e poeira
  • Evite tapetes no quarto dos bebês e das crianças, eles acumulam poeira e pode piorar o quadro de quem tem alergia respiratória

O Lorenzo já ficou resfriado duas vezes, é um sofrimento. Fico com o coração partido de ver meu filho com dificuldades para dormir por causa do nariz entupido. Ele quer a chupeta, mas não consegue respirar só com o nariz, então tenho que usar o aspirador nasal para sugar o catarro e ele dormir pelo menos um pouquinho.

NoseFrida – É o aspirador nasal que uso, muitas pessoas já conhecem, mas para quem não conhece, é um aspirador nasal muito fácil de usar, e ele não machuca o narizinho do bebê. Também não corremos o risco de “engolir” o catarro, pois na ponta há um filtro que impede que isso aconteça. Ele é todo de plástico, na ponta tem uma mangueirinha onde aspiramos.  O Lorenzo quando era menorzinho ainda deixava eu sugar, agora é um parto para fazer isso rs.Bebê Resfriado - Nose Frida é um aspirador nasal que nos ajuda e muito na hora de limpar o nariz do bebê!

Boogie Wipes – São toalhinhas umedecidas com soro fisiológico e perfume suave, impedindo que o nariz fique machucadinho ou ressecado de tanto assoar.

Bebê Resfriado - o lenço Boogie Wipes têm soro fisiológico para assoar o nariz do bebê durante gripes e resfriados sem machucar.

Johnson´s Soothing Vapor Bath – Espuma de banho com eucalipto e mentol, ajuda a descongestionar o narizinho na hora do banho.

Bebê Resfriado - O Johnson´s Soothing Vapor é uma espuma de banho com eucalipto e mentol que ajuda a descongestionar o nariz do bebê.
Babyrub – Ajuda na tosse e a descongestionar. A pomada pode ser usada nos pés na hora de dormir, é recomendado para bebês acima de 3 meses e crianças.

pg-323_1z

Salsep 360 – Cloreto de sódio 9mg/ml –  Fluidificante e descongestionante nasal. Uso várias vezes ao dia, ele age nas secreções nasais, facilitando assim sua eliminação. (Usar somente com prescrição médica).

Salsep

Devemos ficar atentas neste inverno, pois há riscos de um pequeno resfriado virar uma pneumonia ou bronquiolite.

Super beijo!

2 Comentários
Saúde e Bem Estar
•  04 maio 2015  •

Ensinando o bebê a dormir – Encantadora de Bebês

Oi mamães, eu já expliquei aqui como ensinei o Lorenzo a dormir sozinho e este post fez tanto sucesso, que resolvi ajudar vocês com mais algumas dicas do livro A Encantadora de Bebês resolve todos os seus problemas e como ir ensinando o bebê a dormir aos poucos. Eu sou fã deste livro, ele me ensinou muito, fiz tudo direitinho e deu super certo com o Lorenzo.

Hoje vou contar para vocês como funciona a técnica do ritual dos “Quatro S”. É muito simples, precisa ter paciência, mas garanto que funciona.

A autora do livro Melinda Blau ensina que devemos preparar a situação. Essa técnica é usada em bebês até três meses (o que não significa que não funcionará com bebês maiores).

Preparar a Situação – Seja na soneca do dia ou na hora de dormir, você precisa tirar o bebê do ambiente estimulante e levá-lo para um ambiente calmo, de preferência o quartinho dele. Feche as cortinas, se quiser, coloque uma música suave. Os últimos minutos devem ser passados em silêncio, imobilidade e tranquilidade.

AgaSalhar – (enrolar na manta) Essa é uma técnica que funciona bem, assim como as enfermeiras enrolavam os bebês na maternidade, devemos continuar fazendo isso em casa. Enrole o bebê antes de colocá-lo no berço.

charutinho

 

Sentar-se – Depois de enrolar o bebê na manta, sente-se com ele silenciosamente por cerca de 5 minutos, colocando-o na posição vertical. Se for um bebê menor, melhor segurá-lo com o rosto encaixado no seu ombro para bloquear qualquer estimulação visual. Não nine nem balance o bebê, você acaba estimulando-o ao invés de acalmá-lo. Você sentirá o corpinho dele relaxando, e ele terá alguns espasmos.

O ideal é colocar o bebê ainda acordado no berço, mas nem todos ficam. Antes de deitá-lo, diga: “Agora você vai dormir. Nós nos veremos quando você acordar”. Deite-o no berço e se ele parecer calmo saia do quarto para que ele adormeça sozinho.

Importante:

A pesquisa Sono na América de 2004, realizada pela National Sleep Foundation, prova que, dormir independentemente leva a um sono melhor. Bebês e crianças que são colocados acordados no berço dormem mais horas que os bebês que já chegaram ao berço dormindo, e é três vezes menos provável que acordem duas ou três vezes durante a noite.

Silenciar e dar tapinhas – Se o bebê está agitado ou começa a chorar quando você o coloca no berço, provavelmente precisa de uma intervenção física para se acalmar. Faça o seguinte: Enquanto você sussurra “ shh…shh…shh…” perto do ouvido do bebê, dê tapinhas em suas costas. Faça isso enquanto ele estiver deitado no berço (para facilitar, coloque-o deitado de lado, pois se estiver enrolado na manta fica bem mais fácil) ou, se ele não se acalmar coloque-o sobre o seu ombro: Dê os tapinhas no centro das costas em um movimento suave e rítmico. Os tapinhas devem ser dados no centro das costas, não nas laterais do corpo e nem muito embaixo, para que não sejam aplicados nos rins. Quando você sentir que a respiração está um pouco mais profunda e o corpo começa a relaxar, deite-o suavemente ainda de lado e continue com os tapinhas e os Shh…Shh…shh… vá silenciando, serão necessários de 7 a 10 minutos desta técnica até o bebê se acalmar. Se o bebê chorar é preciso reiniciar a técnica. Quando perceber que está calmo, saia de perto, fique alguns minutos para ver se o bebê entra em sono profundo. Os bebês levam cerca de 20 minutos para passar pelas três fases do sono. Espere esse tempo e então saia do quarto.

Mamães, eu usei essa técnica com o Lorenzo quando estava ensinando ele a dormir sozinho no berço e posso dizer que funciona sim, mas é preciso ter muita paciência, pois os primeiros dias são exaustivos. Porém, conforme os dias vão se passando, o tempo que levamos para que eles adormeçam sozinhos vai diminuindo até chegar o dia em que eles levarão somente um ou dois minutos para adormecerem.

É importante frisar que a autora não concorda com a técnica de deixar o bebê chorando até pegar no sono. Também sou totalmente contra, prefiro ficar ali por horas ao lado dele, que deixá-lo chorando.

Gostaria de dizer também que toda mãe deverá fazer o que for melhor para si e para o seu bebê, funcionou comigo mas pode não funcionar com você. Eu optei por colocar o Lorenzo no berço dele com um mês de vida, mas tem mãe que prefere esperar um pouco mais. Nenhuma forma está errada, só nós, mães sabemos o que é melhor para nossos bebês!

Super beijo

73 Comentários
Saúde e Bem Estar
•  30 abr 2015  •

O que eu aprendi ao me tornar Mãe

Oi mamães! O post de hoje é um desabafo sobre minha vida de mãe! Ser mãe é maravilhoso né? Mas sabemos que nem tudo são flores!

Às vezes as coisas não são tão fáceis como imaginamos… Por que eu, como mãe, vivo me culpando e achando que sempre poderia ter feito melhor? No final do dia, já na hora do meu filho dormir, estou exausta, cheia de coisas para fazer, não vendo a hora dele ir dormir, porque só assim eu consigo sentar, descansar e fazer minhas coisas.

Ao deixá-lo no quarto, assim que fecho a porta e saio, uma sensação de missão cumprida e angústia me invadem. Já sinto saudades dele. Ao mesmo tempo me sinto culpada, pois sempre acho que poderia ter feito mais e melhor. O meu dia é dedicado somente à ele, não existem prioridades a não ser as dele. Então porque me sinto assim?

Será que não deveria me sentir cansada? É pecado reclamar querendo 1 dia de folga? Algumas horas a mais de sono? Por que me culpo em deixá-lo brincando sozinho por alguns minutos para sentar e descansar, mesmo estando ali ao lado dele? Ser mãe é nunca estar satisfeita com o que oferecemos, pois sempre queremos fazer mais e melhor. Já não vivemos mais para nós, porque tudo gira em função dos nossos filhos.

Programar uma viagem, um passeio, comprar algo, ir a um restaurante, nada mais é tão simples como era antes. As roupas já não ficam tão boas, o corpo muda, as atitudes mudam, a responsabilidade aumenta. Mas quem é que se lembra da vida antiga? Ser mãe nos muda de uma tal forma que, tudo o que havíamos vivido passa a não ter mais valor até a chegada deles.

Um filho nos torna mais fortes, alegra a casa, tem o poder de transformar nossas vidas. Une a família, nos ensina coisas que jamais imaginávamos aprender. Você já amou alguém tão intensamente, verdadeiramente como você ama seu filho? Quem é mãe tira da própria boca para dar aos filhos, se for preciso dá a vida também. Certa vez, conversando com meu marido eu disse a ele que se eu fosse parar e pensar friamente, eu não teria tido um filho. Veja bem, a partir do momento que engravidamos, tudo é motivo de preocupação. Você quer que esteja tudo bem com seu bebê e cada ultrassom te deixa nervosa enquanto o médico não diz que está tudo bem, que seu filho é perfeito. Quando eles nascem, ficamos em cima para sentir a respiração, se eles choram e não sabemos o que é, choramos junto com o coração apertado de dor (vivemos com o coração fora do peito, só de pensar que pode acontecer algo de ruim com eles). E quando crescerem? O mundo de hoje em dia não colabora né? Não estou nesta fase, mas sei muito bem o que irei passar. Sabe aquela frase que nossas mães diziam: “Quando você tiver um filho saberá o que estou dizendo!” Dá até um frio na barriga só de pensar em passar madrugadas acordada, preocupada porque eles estarão na balada, bebendo, dirigindo…

Não consigo imaginar minha vida sem ele, minhas manhãs sem aquele sorriso de Bom Dia! Os abraços carinhosos com um olhar inocente, o cheirinho que só ele tem, as gargalhadas quando brincamos juntos, as manhas pedindo carinho e colo de mãe, os olhos azuis que me fascinam e me encantam.

São tantos os sentimentos que um filho nos desperta, mas o melhor de todos é a transformação. Quando um filho nasce, nasce uma mãe, nos tornamos melhores como pessoas, passamos a dar valor aquilo que antes nem sabíamos que existia, passamos a ter mais compaixão pelas pessoas, nos colocamos sempre no lugar de outras mães, nosso coração cresce, há tanto amor dentro que transborda. O mundo fica mais colorido!

Ser mãe realmente é padecer no paraíso! Um paraíso cheio de altos e baixos, dificuldades e vitórias. Mas que adoramos não é mesmo?

Super Beijo!

3 Comentários
Gravidez
Página 19 de 22Primeira...1718192021...Última