•  08 maio 2015  •

10 coisas que aprendi quando me tornei Mãe

Oi Mamães! Um filho muda tantas coisas em nossas vidas não é mesmo? Hoje, listei para vocês 10 coisas que aprendi quando me tornei mãe.

1- Que meu sono passaria de leve para super hiper mega leve.

Gente, é certo que quando eles ainda estão em nossa barriga a gente levanta de hora em hora para fazer xixi, acho que isso já é um treinamento para a chegada deles. Eu nunca tive o sono pesado, mas também não acordava com tanta facilidade. Se ele respira um pouco mais forte, pronto, lá estou eu com a cara enfiada na babá eletrônica.

2 – Que eu deixaria de comprar coisas para mim para comprar pra ele.

Nossa, essa é fantástica. Quem é mãe sabe que a cada ida ao shopping é uma tentativa frustrada de comprar alguma coisa para nós. Seja por falta de paciência (principalmente quando estamos com eles), seja por prioridade, mas sempre que vejo alguma coisa legal, um brinquedo ou uma roupa, acabo comprando para ele e saio sem nada para mim.

3- Que meus programas favoritos são aqueles onde posso levá-lo.

Depois que nos tornamos mães, sair sozinha com o marido vira quase missão impossível. Eu ainda tenho sorte de ter minha mãe morando perto, sempre que preciso ela fica com o Lorenzo para mim, mas sei que muitas não tem alguém que possa ficar com o filho para ir nem que seja ao cinema, jantar fora, uma saidinha rapidinha. Então, temos que nos adaptar a lugares que possam receber nossos filhos. Se meu filho não pode ir, eu também não vou!

4- Aprendi o que é amor e amar de verdade.

Mamães, falando sério, o que é esse amor hein? Um amor que transborda, e ao mesmo tempo dói. Que transformação é essa quando temos um filho? É divino, inexplicável. A gente sempre acha que amamos com toda força do mundo alguém, mas experimenta ter um filho para você ver o que é amar de verdade.

5 – Aprendi a mudar minhas prioridades.

É claro que não devemos deixar de nos cuidar quando temos um filho, até porque antes de nos tornarmos mães, somos mulheres, esposas, profissionais. Mas um filho muda nossas vidas, e acabamos ficando em segundo plano sempre.

6- Aprendi a acordar cedo.

Nada de noites inteiras ininterruptas com aquele sono gostoso. Dormir assim é luxo para poucos. E acordar tarde então? Nem pensar. Eu nunca gostei de acordar cedo, nunca me acostumei com isso. A minha sorte é que o Lorenzo sempre foi muito bonzinho para dormir. Mas não adianta, mesmo com ele dormindo 12 horas direto eu não consigo dormir sem acordar e olhar pela babá eletrônica se ele está respirando.

7- Paguei minha língua.

É incrível como o ser humano gosta de criticar os outros. Eu sempre gostei de crianças, mas se tinha uma coisa que me fazia parar para pensar e “julgar” os pais era quando eu via no shopping ou supermercado uma criança se jogando no chão chorando e gritando querendo alguma coisa. Era muito fácil dizer que a culpa era dos pais, depois que tive o Lorenzo, mesmo ele sendo pequenininho nunca mais julguei ninguém, até porque existe aquele negócio de cuspir para cima e cair na testa né?

8- Aprendi que mãe é mãe e ponto!

Jamais quero desmerecer pai algum, muito menos meu marido, mas cá entre nós, mãe é mãe não é mesmo? A figura de um pai é essencial na vida de uma criança, e quando eles são recém-nascidos precisamos muito de apoio e ajuda. Mas TUDO gira em torno de nós. Se estão doentes é a mamãe que chamam, se querem ir ao banheiro é a mamãe que vai junto, para dormir é a mamãe que conta história e faz um cafuné, se caem é a mamãe quem dá colo e beijinho para sarar.

9- Aprendi a valorizar ainda mais a minha mãe.

É bem verdade aquilo que nossas mães falavam quando éramos adolescentes e dávamos trabalho porque queríamos ir a baladas e voltar somente no outro dia. “ Você só vai dar valor ao que eu falo um dia quando você for mãe”. Preciso falar algo mais ?

10- Aprendi a ter paciência.

Está aí uma coisa que pensei que não tinha, mas para minha surpresa tenho de sobra. Mas não foi de uma hora para outra que a conquistei, é um exercício diário, mas que faz bem a todos. Quem é mãe sabe do que estou falando, e não é preguiça de cuidar do nosso filho, pelo contrário, fazemos com muito amor, mas somos humanas e ficamos estressadas quando alguma coisa sai do nosso controle. Outra coisa que precisei aprender foi a “ignorar” os comentários e palpites de pessoas intrometidas.

Alguma mamãe se identificou?

Super beijo

2 Comentários
Gravidez
2 Comentários
  1. Ana Claudia Andrade   em 08/05/2015 - 21:10

    Muito bom texto Josi. Me identifiquei com quase todos eles. Como minha bebe ainda tem 1 mês, mtas das coisas ainda estou aprendendo e vivendo. Mas concordo com vc, que amor eh esse que sentimos, ne ????? Nossa, parece que o coração não vai aguentar. Sem falar que estou mto mais emotiva e ainda to na fase que choro por tudo. Só sei que dia 31/03/15 nasceu minha princesa Anabella e nesse dia tbm nasceu uma mãe que tem me surpreendido a cada dia com a força e vontade que tenho de cuidar dela e protegê-la de todo o perigo. Estou amando ser mãe!!!! Feliz Dia Das Mães Josi. Grande beijo!!!!

    • Josi Alves   em 11/05/2015 - 14:03

      Oi Ana! Muito bom ver vc por aqui novamente! Pois é, é uma loucura né? A gente não nasce sabendo ser mãe, mas a gente aprende muito com eles! Você vai ver que já já vc saberá o que sua bebe tem só de ouvir o chorinho dela! Tudo vai ficando mais fácil! A gente muda muito tbm, mas pra melhor com certeza! E o fato de vc estar emotiva, é super normal, só vai melhorar um pouquinho viu?! rs porque a gente se transforma, e ficamos muito mais sensível mesmo! Um feliz dias das mães atrasado! Super beijo!

Deixe seu comentário